Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

domingo, 19 de dezembro de 2010

PERÍODO DE REFLEXÃO E RENOVAÇÃO

Ana Beatriz Medeiros Brito
Algumas pessoas pensam que a simples virada do calendário ou a mudança dos regentes do ano, por si só, vão fazer a virada nas suas vidas e ficam contando com isso sem fazer nada, apenas esperando. Quando chega o fim do ano culpam o tempo, o governo, os santos, etc porque a sua vidinha continua a mesma.
Promessas de “Ano-Novo, Vida Nova", apenas, também não mudam nada. O que faz a diferença é a forma como cada um encara o novo ano, abre-se e busca novas possibilidades.
Portanto recicle-se, invente, aproveite a ”Energia Crística” do Natal e as novas energias do Ano Novo e faça o seu ano diferente.
Pergunte aí dentro de você e com honestidade, escute a resposta:
- O meu ano valeu a pena?
- Estou vivendo o que quero viver? Esta é a vida que sempre sonhei para mim?
Se você quer mais ou diferente, mexa-se, faça a sua parte. Permita-se mudar. Busque as alternativas que você dispõe para fazer a mudança acontecer em sua vida
“A única coisa permanente é a mudança.”, já dizia Heráclito há 500 anos AC.
O Universo é puro movimento e está em constante renovação.
Na natureza tudo se renova cada instante.
Renove-se você também, aproveite o período. Abra seu coração... Sonhe... Deseje... Faça a sua parte... Ame... Sorria... Seja feliz!
Que este Natal encha os nossos corações de Amor e Paz e que este estado de espírito nos oriente todos os dias do Ano Novo.
Que você tenha, junto aos que ama, um lindo Natal e um Ano Novo abençoado.

sábado, 11 de dezembro de 2010

WORKSHOP: Criando Seu Ano Novo Com Sabedoria

Você já sabe o que quer em sua vida em 2011? O que vai fazer? Por quê? Quando? Como vai fazer?
Não seria melhor você se preparar para obter o que deseja? Preparar-se para aproveitar as oportunidades quando elas chegarem?
Lembre-se que as pessoas só reconhecem uma boa oportunidade quando sabem o que querem com clareza.
Um dos princípios básicos da Programação Neurolinguística é que “As pessoas são responsáveis pelos seus resultados”. Portanto, tome as rédeas de sua vida, escolha o que quer para si em 2011 e descubra o que é necessário fazer para atingir seus objetivos.
A virada do calendário é um artifício ao qual recorremos para marcar tempos imaginários de realizações, então é um excelente período, para a criação do próximo ano.
Que tal aproveitar essa oportunidade?
Este programa foi desenvolvido para ajudar pessoas dispostas a reinventar sua vida e realizar suas metas com menor esforço, de forma lúdica, agradável e eficaz.

"O impossível só vira realidade se você estiver “Bem Preparado” quando a chance aparecer."
(Oscar Schmidt)

CONTEÚDO:
- Como atrair o que você quer para sua vida?
- A tecnologia da Realização de Metas
- Pressupostos que dão suporte ao programa de Criação de Metas
- Auto-avaliação
- Escolha de resultados desejados para 2011
- Limpeza de obstáculos
- Acesso aos recursos necessários para conseguir o que deseja em 2011

METODOLOGIA:
- Num clima de descontração, o programa é constituído de exposição dialogada, técnicas e vivências que despertam sua criatividade e desenvolvem os recursos necessários para a criação e obtenção de resultados desejados, com base na Programação Neurolinguística e Coaching.

DATA:
- 08/01/2011 (Sábado)

HORÁRIO:
- 9 às 17:00h

LOCAL:
- XV de Novembro, 607, conj. 76 - Ed Itatiaia, Centro, Pelotas/RS

FACILITADORA:
- Ana Beatriz Medeiros Brito - Psicóloga, Master Practitioner em Programação Neurolingüística e Terapia da Linha do Tempo, Certified Personal and Executive Coach, Reikiana Nível III; Consultoria Organizacional, Vasta Experiência em Recrutamento, Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Orientação e Acompanhamento de Pessoal; Psicóloga Clínica, Criou e atuou como facilitadora em Seminários; Ministrou curso de PNL no SENAC, Palestras em Seminários Abertos, em Empresas de Grande Porte, para Formandos da Nutrição UFPEL, no Curso Sup de MKT e Varejo da Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas, Colaboradora do Jornal 3º Milênio. Blog: WWW.anabeatrizbrito.blogspot.com

INSCRIÇÕES: até 04/01/2011 (3ª feira)
- Fones: (53) 9986 7003
abmbrito@gmail.com

domingo, 5 de dezembro de 2010

Receita de Ano Novo

Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar um belíssimo ano novo, cor de arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido – mal vivido talvez ou sem sentido.

Para você ganhar um ano, não apenas pintando de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir a ser novo, até no coração das coisas menos percebidas – a começar pelo seu interior.

Novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha.

Você não precisa beber champanhe ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens – planta recebe mensagem? Passa telegrama? Não precisa fazer lista de boas intenções, para arquivá-las na gaveta.

Não precisa chorar de arrependido, pelas besteiras consumadas, nem parvamente acreditar que, por decreto da esperança, a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo. Eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Ansiedade no Trabalho

Entrevista, como "Convidado Especial" à revista eletrônica da Valia, fundo de pensão (previdência complementar) da Vale.

Ansiedade no trabalho

Saiba como administrar o problema e utilizá-lo a favor do desempenho profissional.

A ansiedade é um sentimento de apreensão desagradável que precede momentos de perigo real ou imaginário. Ela pode aparecer em qualquer momento da vida, seja no convívio familiar, em um encontro com amigos e, principalmente, no ambiente profissional. Em excesso, esse sentimento pode trazer malefícios - como estresse - e até atrapalhar a capacidade intelectual e produtiva do indivíduo. A consultora profissional independente, Ana Beatriz Medeiros Brito, de escritório próprio, analisa como a ansiedade interfere no trabalho e dá dicas para controlar as reações ocasionadas por ela no dia a dia.

Que fatores podem contribuir para despertar a ansiedade no ambiente de trabalho e como profissionais ansiosos se comportam?

Alguns fatores comuns no âmbito profissional, como a cobrança por produtividade, o excesso de tarefas no trabalho, a falta de autoconfiança, de autoestima, de qualificação e reciclagem profissional são exemplos que podem impulsionar o surgimento da ansiedade.

Em geral, as pessoas ansiosas mostram-se tensas e apreensivas, especialmente diante dos superiores. Com baixa autoestima, elas deixam de fazer certas coisas porque se julgam incapazes de realizá-las. Sentem-se facilmente feridas diante de críticas e desaprovações e evitam atividades sociais ou profissionais aonde o contato com outras pessoas seja intenso, mesmo que venham a ter prejuízos com isso. Pessoas ansiosas também exageram nas dificuldades e nos perigos envolvidos em atividades comuns que estejam fora de sua rotina.

Quais são as consequências para o profissional que sofre desse “problema”?

As consequências não se limitam apenas ao sofrimento subjetivo e ao comprometimento do desempenho profissional do indivíduo. A ansiedade no ambiente de trabalho, quando em excesso, pode trazer prejuízos à saúde, ocasionando problemas como disfunções gastrointestinais, Lesão por Esforço Repetitivo (LER), dores de cabeça, lapsos de memória, depressão e uso abusivo de medicamentos controlados. A ansiedade pode estar associada também aos pequenos erros na execução das tarefas.

É verdade que, se bem administrada, a ansiedade pode contribuir para aumentar a qualidade do trabalho e a velocidade da realização de tarefas? Por quê?

Sim, se o indivíduo souber aproveitar a principal função da ansiedade como uma reação natural e necessária para a autopreservação. Ou seja, como um estado de alerta que prepara o organismo para tomar as medidas necessárias para impedir a concretização dos possíveis prejuízos advindos de uma situação de mudança, ou pelo menos para diminuir suas consequências.

Todas as pessoas passam momentos em que se sentem um pouco ansiosas e a verdade é que essa ansiedade as ajuda a enfrentar os desafios. Isso porque ela cria um estado de alerta para responder rapidamente às novas situações.

O que o profissional deve fazer para controlar a ansiedade? Que estratégias podem ser utilizadas?

As reações de ansiedade normais não precisam ser tratadas por serem naturais e autolimitadas. Os estados de ansiedade anormais requerem tratamento específico, em alguns casos, psicoterapia e uso de medicamentos.

Aos profissionais ansiosos, em primeiro lugar, sugiro enfrentar a ansiedade dentro de si mesmo através do autoconhecimento para descobrir o que está causando esse desconforto. Depois devem tomar a decisão de mudar a situação atual, através da prática de ações preventivas coerentes com sua causa, como investir no progresso de sua formação, na reciclagem profissional, maior dedicação ao serviço. Além disso, a comunicação interpessoal, dinâmicas de grupo, treinamentos motivacionais, esportes, ioga, meditação, coaching e/ou terapia também podem minimizar os efeitos negativos da ansiedade.

https://www.valia.com.br/ (Fique por Dentro).

domingo, 4 de julho de 2010

Feminilidade x Sensualidade e Terapia

Ana Beatriz Medeiro Brito

Certa vez, em um grupo, ouvi falar sobre uma mulher que, enquanto se dizia não feminina, cruzava as pernas e movia-se sensualmente, como se esta fosse a maior prova de sua feminilidade.
Enquanto ouvia não emiti nenhum parecer sobre essa colocação, apenas observava e ouvia o desenrolar do comentário, Na hora não me ocorreu nada a não ser que aquilo não fazia muito sentido para mim. No dia seguinte, lembrei-me da situação, refleti por um tempo sobre o assunto e decidi escrever o que só hoje, após revisão, publico.
Desde quando feminilidade significa apenas ser sensual? O que teria por traz desta queixa de não ser feminina? Qual o significado da expressão ”ser feminina” para aquela mulher?
Penso que algumas mulheres ou talvez até alguns terapeutas andam meio perdidos nesses significados. E refleti bastante para saber se minhas conclusões não seriam baseadas nos meus preconceitos e minhas crenças e concluí que não, pois existem valores e verdades que são universais e parece que muita gente anda esquecida deles. Não seria por isso que a sociedade e a família estão à beira da falência?
Em busca do resgate da feminilidade, mulheres exacerbam o apelo à sensualidade e sexualidade. A mulher precisa rever e desmistificar conceitos pessoais, talvez com carga moral e afetiva, mas precisa ter cuidado para não cair na vulgaridade. “A sexualidade não é apenas genitália ou gestual. A educação sexual não deve limitar-se à dimensão biológica, mas sim abordar os aspectos bio-psico-sociais integrados, esclarecendo que a assertividade do aprender a usar o corpo e a dizer sim ou não está muito distante do ser repressivo”, é uma escolha baseada em princípios éticos e morais, também, para que possa viver em paz com sua consciência e dignidade. O ser humano é um ser naturalmente ético, quando sai fora de seus padrões verdadeiramente originais, sente-se perdido e sofre com isso.
Acredito que a busca da mulher atual deve ser, então, a de voltar a olhar para si mesma e resgatar a sua feminilidade, não só no que diz respeito à sexualidade, mas principalmente ao autoconhecimento, à afetividade, à ternura, à parceria e à auto-estima, tornando-se conhecedora da sua capacidade de sedução além de ter consciência sobre os problemas do mundo, sendo participativa e vivendo com alegria, como uma pessoa capaz de escolher o que é melhor para si.
E qual o papel do terapeuta? Ajudá-la na busca de sua auto-descoberta com uma postura ética, levando em consideração os valores e verdades morais universais e não com verdades próprias ou o que julgam ser verdade porque são pregações de uma parte da sociedade que, equivocada ou adoecida, rege-se por princípios e valores invertido.
O terapeuta necessita estar consciente da sua responsabilidade na criação da sociedade. Responsabilidade pessoal do paciente existe, mas será que quando busca terapia ele também não está buscando um “Norte” para sua vida? Quando se estabelece o vínculo, ele acredita em tudo o que o terapeuta diz e faz, sem contar que, com o paciente em estado alterado de consciência, o terapeuta pode passar muita coisa boa ao paciente, mas também muita coisa não tão boa assim.
O terapeuta precisa ser um profissional muito bem preparado, não basta saber aplicar uma técnica, há que se ter muito conhecimento, antes disso, sobre o Ser Humano e sobre o poder de influência que pode exercer sobre as pessoas. Aí reside o perigo dos terapeutas “formados” em cursinhos de fim de semana.
O terapeuta, sendo psicólogo ou não, é responsável pelo uso que faz das técnicas que aprendeu e pelos seus pareceres, assim como o médico é responsável pela medicação que receita, pois também podem causar danos quando aplicadas irresponsavelmente, podem destruir a vida afetiva, familiar, social... do dito paciente, por isso são chamados de pacientes, as vezes eles precisam ser dotados deste recurso para aguentarem seu terapeuta.
Quero deixar aqui registrado que sei de tantos terapeutas bem formados e informados, embora não tenham curso superior na área, quanto de psicólogos e psiquiatras mal formados ou mal intencionados.
Quem procura terapia, em geral, está com poucas ou sem condições de assumir atitudes por si só e, quando escolhe com quem tratar-se, pressupõe-se que, de alguma forma, confia naquele terapeuta e, então, o que ele diz torna-se verdade indubitável para a pessoa, isto é, passa a acreditar em tudo o que o terapeuta diz.
Com isso, muitas vezes terapeutas, em vez de ajudarem seus pacientes a se estruturarem de acordo com o meio em que escolheu viver e de suas verdades, acabam empurrando-os para um estado de confusão maior ainda, pela falta de conhecimento ou percepção distorcida do terapeuta que não fez uma adequada verificação da ecologia interna do paciente e o induziu, através de crenças e valores do “terapeuta”, a algo que não faz parte do seu contexto e isso pode trazer consequências, no mínimo, desagradáveis ao paciente.
Que isto sirva como alerta!

domingo, 6 de junho de 2010

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA - A Realidade de Cada Um

Módulo IV

Por que uma pessoa morre de rir de uma piada enquanto outra que está a seu lado pensa: "Isso não tem graça nenhuma!"? Por que uma pessoa vê o copo meio vazio enquanto outra o vê meio cheio?

OBJETIVO:
Este módulo foi estruturado para oferecer-lhe os subsídios necessários para que você possa descobrir como você funciona e como funciona o seu interlocutor, seja ele seu parceiro, amigo, cliente, chefe, subordinado... E, a partir daí, interferir no seu relacionamento de forma a atingir seus objetivos de maneira ética e eficaz.

PÚBLICO ALVO:
- Curso sobre a nova tecnologia mental e cerebral para executivos, gerentes, líderes, profissionais liberais, vendedores, professores, psicólogos, coaches, terapeutas e todos os que desejam uma evolução em sua capacidade mental e produtiva, através da excelência em comunicação.

PRÉ-REQUISITO:
- Ter feito o 1º, 2º e 3º módulos do curso

VOCÊ GANHA FAZENDO O CURSO:
Além de ampliar os conhecimentos e recursos já adquiridos no 1º, 2º e 3º módulos, você terá aprenderá a reconhecer as características de personalidade das pessoas, o que lhe será útil nas mais diversas situações, como: auto-motivação, na motivação de outras pessoas, nos padrões de modelagem de excelência, na seleção e contratação de candidatos e na formação de times, na escolha profissional, na comunicação tanto para entender como para se fazer ouvir por outra pessoa, para construir Rapport rapidamente, na influência, em vendas, etc.
Você ainda aprenderá: Quando e como mudar Metaprogramas e Crenças, a utilizar técnicas para mudar sentimentos desagradáveis em resposta a outras pessoas, eventos ou lugares, mudar uma lembrança desagradável, destruir uma representação interna que fica ocupando os pensamentos e reduzindo recursos, estratégia para negociação, quebrar estados de frustração, facilitar a comunicação e relacionamentos.

PRINCIPAIS TEMAS:
- Apresentação e esclarecimento de dúvidas e comentários
- Filtros da Comunicação e suas funções
- Metaprogramas
- Valores
- Crenças
- Exercícios práticos
- Técnicas passo à passo.

METODOLOGIA:
- Num clima de descontração, o programa é constituído de exposição dialogada, técnicas e vivências da PNL

DATA e HORÁRIO:
- 03/07/2010 (Sábado)
- Das 9 às 19hs

FACILITADORA:
- Ana Beatriz Medeiros Brito - Psicóloga, Master Practitioner em Programação Neurolingüística e Terapia da Linha do Tempo, Certified Personal and Executive Coach, Consultoria Organizacional, Vasta Experiência em Recrutamento, Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Orientação e Acompanhamento de Pessoal; Psicóloga Clínica, Criou e atuou como facilitadora em Seminários; Ministrou curso de PNL no SENAC, Palestras em Seminários Abertos, Colaboradora do Jornal 3º Milênio.

INFORMAÇÕES/INSCRIÇÕES: até 29/06/2010 (3ª feira)
- Fones: (53) 9986 7003 / 3226 1587
- e-mail: abmbrito@gmail.com
- blog: www.anabeatrizbrito.blogspot.com

sexta-feira, 16 de abril de 2010

PODER PESSOAL: Sua Vida em Suas Mãos

Ana Beatriz Medeiros Brito

Poder Pessoal é o resultado de um processo de reconhecimento de que se é responsável pelas próprias escolhas. Quando você deixa de atribuir a algo ou alguém a responsabilidade pelo modo como se sente, está tomando posse do seu poder pessoal.
De modo geral, associa-se a idéia de poder à habilidade que alguém tem de influir sobre as ações de outras pessoas ou, ainda, à capacidade de determinar a forma como algo deve ser ou acontecer, o que não é verdadeiro. O poder que é exercido externamente, seja levando exércitos para a guerra, tiranizando subordinados no trabalho ou manipulando parceiro(a) no relacionamento amoroso é frágil, torna vulnerável quem o usa, pois este teme ser dele destituído. Isto, porque depende de outros ou de circunstâncias externas, então pode ser perdido a qualquer momento.
O poder pessoal, entretanto, supera obstáculos e não conhece limites, pois se fundamenta no potencial ilimitado que existe dentro de cada ser humano. Sendo assim, é o único que se pode preservar porque é adquirido através do esforço próprio e é vivenciado internamente.
Poder pessoal não é algo que lhe é conferido por alguém ou alguma situação externa, apenas existem circunstâncias que favorecem ou dificultam essa condição, mas quem escolhe a reação à essa circunstância é a própria pessoa, mesmo que de forma inconsciente. O poder pessoal é o poder sobre si mesmo(a) e cresce na proporção direta do autoconhecimento.
O ser humano, em sua primeira infância, é indefeso e dependente de outros para o suprimento de abrigo, alimento e afeto. A partir de uma certa idade, a independência começa a ser possível em algumas áreas e é, então, exigida e estimulada pelos adultos. A maioria das crianças ingressa nessa fase sem grandes dificuldades e até com prazer. Outras, seja por uma suscetibilidade emocional excessiva herdada, seja por uma história repleta de eventos incapacitantes ou mais comumente, por ambas, não o fazem tão facilmente. Nelas permanece uma necessidade exagerada de apoio e aceitação por parte de outras pessoas, a qual acaba por manter ou reproduzir relações dependentes que tiveram, na infância, com adultos significativos (pais, principalmente) e isso implica na perda de poder pessoal.
Todo ser humano tem seu poder pessoal, mas muitas vezes acaba cedendo-o total ou parcialmente a outras pessoas. Geralmente, essas pessoas estão ligados a eles por meio de laços afetivos ou profissionais (patrão, família, parceiro, etc).
As principais características das pessoas com perda de poder pessoal são: necessidade exagerada de apoio e aceitação por parte de outras pessoas, baixo nível de auto-estima, dúvidas quanto às suas capacidades, descrença no seu poder de influir nos eventos da própria vida, desmotivação, sentimentos de insegurança, inferioridade e insatisfação pessoal, levando-as a fugir de situações inusitadas e culpar-se por sua fraqueza sentindo-se desesperançados de algum dia terem forças suficientes para enfrentar essas situações.
Ter poder pessoal significa não entregar a ninguém mais, ou a nenhum acontecimento a capacidade de influenciar seu comportamento, atitudes e sentimentos, é dar-se conta de que você é o centro de seu “Universo Pessoal”, o causador de seu mundo, o criador de sua realidade. É escolher a verdade, o equilíbrio e a coerência como uma expressão natural do ser.
A conquista desse poder só pode ser feita pelo próprio indivíduo através de decisão e do exercício da autenticidade e esta escolha pela liberdade pode ser feita a qualquer momento de sua vida.
A única forma de resgatar seu poder é mudar suas crenças e emoções empobrecedoras, desenvolver suas capacidades e tomar as rédeas da sua vida nas próprias mãos como resultado da busca, da atenção, do esforço e da responsabilidade pelo seu destino.
Você é 100% responsável por tudo o que vive e experimenta, pelo quê acredita de si e do mundo, o que virá a moldar hábitos e atitudes que criam seu espaço de atuação na vida.

domingo, 21 de março de 2010

ANO ASTROLÓGICO DE 2010

Caríssimos companheiros de jornada!

Está começando o "Ano Astrológico de 2010". Que tal fazer com que este seja, de verdade, um ano diferente?
Faz tua escolhas para este ano: Escolhe viver tudo aquilo que te faz feliz, que te realiza pessoal e profissionalmente, deixa no ano velho todas as tuas mazelas, traz contigo apenas os aprendizados, coloca tua atenção nas tuas escolhas e segue em frente fazendo a tua parte, assim o "Universo" conspira a teu favor.

Feliz Ano Novo!

terça-feira, 2 de março de 2010

CURSO DE PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA

O curso de Introdução à Programação Neurolinguística (PNL) é composto por cinco (5) módulos, cada módulo é realizado em um dia, geralmente aos sábados.
À cada módulo os participantes recebem um certificado de participação e durante o curso são solicitados a escolherem a data do próximo módulo, visando atender aos interesses de todos.
Encontram-se abertas as inscrições para a turma do Módulo I do curso que se realizará no dia 13/03/2010.
As inscrições encerram em 09/03/10
A 1ª turma fará, em breve, o 4º módulo.
Solicite maiores informações por e-mail ou telefone.
abmbrito@gmail.com
(53) 32261587 / 99867003

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

CRIANDO O 2010 QUE VC QUER

WORKSHOP

Um dos princípios da Programação Neurolinguística é que “As pessoas são responsáveis pelos seus resultados”. A grande maioria das pessoas se coloca do lado EFEITO da equação da vida, delegando a responsabilidade pelo que lhe acontece de bom ou ruim a algo ou alguém fora de si (economia do país, o governo, marido/esposa, filhos, pai/mãe, chefe, ...), quando poderia colocar-se do lado CAUSA, isto é, escolher o que quer para si e fazer o que é necessário para atingir seus objetivos.
Com certeza não é deixando a vida levá-lo que você vai chegar onde gostaria. Só Você pode criar os resultados que você deseja obter.
A virada do calendário é um artifício ao qual recorremos para marcar tempos imaginários de realizações, então é um período, por excelência, de balanço do que passou e criação do próximo ano.
Você pode até pensar que a “Virada do Ano” já passou, pelo calendário gregoriano sim, mas para muitas pessoas o ano começa em Março com o término das férias, após o carnaval, com o ano dos Orixás, o “Ano Astrológico” enfim... O importante é que sempre é tempo de fazer a sua virada. Que tal aproveitar essa oportunidade?
Este programa foi desenvolvido para ajudar pessoas dispostas a inventar sua vida e realizar suas metas com menor esforço, de forma lúdica, agradável e eficaz.

“A mente humana é uma maquina de previsões e inventar o futuro é sua mais importante função.” (Daniel Gilbert)

CONTEÚDO:
- Revisão revitalizante de 2009
- Limpeza de obstáculos
- Auditoria Pessoal
- A tecnologia da Realização de Metas
- Criação de objetivos atingíveis para 2010

METODOLOGIA:
- Num clima de descontração, o programa é constituído de exposição dialogada, técnicas e vivências com base na Programação Neurolingüística e Coaching.

DATA:
- 27/02/2010 (Sábado)

HORÁRIO:
- 9 às 17:00h

LOCAL:
- XV de Novembro, 607, conj. 76 - Ed Itatiaia, Centro, Pelotas/RS

FACILITADORA:
- Ana Beatriz Medeiros Brito - Psicóloga, Master Practitioner em Programação Neurolingüística e Terapia da Linha do Tempo, Certified Personal and Executive Coach, Reikiana Nível III; Consultoria Organizacional, Vasta Experiência em Recrutamento, Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Orientação e Acompanhamento de Pessoal; Psicóloga Clínica, Criou e atuou como facilitadora em Seminários; Ministrou curso de PNL no SENAC, Palestras em Seminários Abertos, em Empresas de Grande Porte, para Formandos da Nutrição UFPEL, no Curso Sup de MKT e Varejo da Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas, Colaboradora do Jornal 3º Milênio. Blog: WWW.anabeatrizbrito.blogspot.com

INSCRIÇÕES: até 25/02/2010 (3ª feira)
- Fones: (53) 9986 7003
3226 1587
abmbrito@gmail.com

INVESTIMENTO:
- R$90,00 Pagos até 23/02/2010
- R$100,00 Pagos no dia do evento
- 2 x de R$60,00

domingo, 7 de fevereiro de 2010

A GRANDE VIRADA

Ana Beatriz Medeiros Brito

Para muitas pessoas o ano começa após as férias, após o carnaval, junto com as aulas, com o início do ano Chinês, ano dos Orixás, ano Astrológico... O importante é que em geral se privilegia o início do ano para começar uma “vida nova”.
Seguem aqui algumas dicas para você que realmente deseja uma vida nova no novo ano, mas ainda não sabe como fazer acontecer.
Para começar, alerto para o fato de que uma vida nova só acontece quando a própria pessoa decide mudar alguma coisa em sua vida. De nada adianta esperar pelos outros, pelas forças ocultas ou culpá-los. Somente VOCÊ é responsável pelos seus resultados.
Para conseguir o que quer, muitas vezes, torna-se necessário vencer alguns obstáculos, e o mais forte e mais importante deles é o obstáculo que você mesmo criou, que é você mesmo: Seus MEDOS, seus PRECONCEITOS, seus LIMITES. Mas o importante é que você pode vencê-los, sozinho ou com ajuda, e aproveitar as oportunidades que lhe são oferecidas ou, até mesmo, criá-las.

- COMO FAZER ACONTECER?
Trace seus objetivos e para isso é necessário:
1º. Saber o que você quer - seu objetivo colocado de forma positiva. O que você quer e NÃO o que não quer.

2º. Viabilizar o objetivo - seu objetivo precisa ser atingível e NÃO um sonho impossível.

3º. Ecologia do objetivo - verifique se seu objetivo pode trazer algum prejuízo para você?... para sua família?... sua comunidade?... sua cidade?... seu país?.. para o universo?... É necessário que seja ecológico.

4º. Descobrir quais são os recursos necessários para atingir esse objetivo.
a) Recursos já disponíveis para você.
b) Recursos que precisa conseguir.
c) Onde você pode conseguir estes recursos que ainda não estão disponíveis.
d) Agora é só acessá-los.

5º. Objetivo autogerenciado - De você para você mesmo ou negociado.

6º. Objetivo datado e quantificado.

Além disso, outras coisas facilitam a obtenção de objetivos:
1ª. Conseguir aliados

- COMO CONSEGUIR ALIADOS?
Sendo ecológico, verdadeiro, confiável, amigo, solidário; fazendo para os outros aquilo que você gostaría que fizessem à você.

2ª. Realmente querer, acreditar e investir neste objetivo.

Você pode fazer isso sozinho ou procurar a orientação de alguém competente para ajudá-lo.

DEPOIS DISSO, É SÓ COLHER OS FRUTOS.

domingo, 31 de janeiro de 2010

13. “As Pessoas são Responsáveis pelos Seus Resultados.”

Ana Beatriz Medeiros Brito

O décimo terceiro e último pressuposto da PNL que cito aqui, mostra que as pessoas são responsáveis pelos pensamentos e comportamentos e, portanto, pelos seus resultados.
Cada pessoa é a única responsável pela sua qualidade de vida. Ao atribuir à outras pessoas a responsabilidade por seus insucessos, a pessoas deixa de ser responsáveis por si mesma, delegando a outras este poder.
Em um primeiro momento isso parece confortável, mas se alguém responsabiliza terceiros pelo que lhe acontece de positivo ou negativo, está permitindo que o outro interfira em sua vida e jamais poderá obter o que quer, só terá, sentirá e viverá o que o outro quizer ou lhe permitir viver.
Esta é a conhecida lei da causa e do efeito: cada um colhe o que semeou e ninguém mais é responsável.
A grande maioria das pessoas se coloca do lado EFEITO, coloca a culpa do que lhes acontece em algo ou alguém fora de si.
Ex.: meu casamento não anda bem, a culpa é do meu marido que não para em casa, é da minha mulher que só pensa em limpar e arrumar a casa, é das crianças que absorvem demais.
Quando as crianças crescerem nosso relacionamento ficará melhor, poderemos viver mais um para o outro.
Meu trabalho não ficou bom porque meu colega me deu a informação errada.
Não sou promovido porque meu chefe não reconhece meu valor.
Qual é a sua contribuição para que os outros ajam assim com você?
Enquanto você não assumir a direção de sua vida, alguém vai dirigi-la e você só fará o que os outros quiserem que faça.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Quando você tem essa informação, você pode monitorar e reconhecer seus pensamentos, ações e sensações, evitando pensamentos, estados e, até, ambientes tóxicos e, ainda, ter flexíbilidade na escolha dos meios para tratar-se quando necessário.
Saiba que toda terapia deve ter como objetivo principal fazer com que as pessoas se coloquem do lado CAUSA da equação de sua vida; se não for assim causa dependência, portanto não procure o terapeuta que vai curá-lo, mas o que vai ajudá-lo a tornar-se independente.
Lembre-se: “Ninguém faz nada para nós se não provocarmos, sempre, de alguma forma, fazemos por merecer”. E também, que: "As coisas não mudam; nós é que mudamos".

Com este, encerramos a série de pressupostos e crenças que fundamentam as técnicas da Programação Neurolingüística, espero que você possa utilizar este conhecimento para orientar sua vida, sabendo que:
“Como todas as generalizações são falsas, sempre poderão existir exceções a estes pressupostos. Porém eles formam uma base e uma estrutura fortes para a comunicação e para se operarem mudanças.”

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

12. “As pessoas possuem os recursos necessários para fazerem qualquer mudança desejada”.

Ana Beatriz Medeiros Brito

O décima segunda pressuposição da PNL diz respeito à capacidade que cada pessoa possui ou pode adquirir, para alcançar seus objetivos e metas, desenvolver-se e realizar-se criativamente.
Todo ser humano possui todos os recursos que necessita para fazer qualquer mudança, isto é, se uma pessoa pode fazer alguma mudança interna ou externa, outra também pode. Os recursos necessários para tanto, estão disponíveis para todos, basta acessá-los e torná-los disponíveis nos contextos desejados.
Imagens mentais, vozes interiores, sensações e sentimentos são a matéria prima básica para a construção de todos os nossos recursos mentais e físicos. Podemos usá-los para construir qualquer pensamento, sentimento ou habilidade que desejarmos, colocando-os depois nas nossas vidas onde quisermos ou mais precisarmos.
O cérebro da imensa maioria dos seres humanos é similar. Não há grande diferença entre os "gênios" e os indivíduos "normais" além de uma maneira mais eficiente de usar os pensamentos. Se uma pessoa pode fazer algo, todos podem aprender a fazer também
Os pensamentos e recordações das pessoas, possuem um padrão. Quando a pessoa muda este padrão ou estrutura, sua experiência muda automaticamente. Pode-se neutralizar lembranças desagradáveis e enriquecer outras para que se tornem mais úteis.
O cérebro humano funciona como um computador, quando está triste - roda programa de tristeza; quando alegre, roda programa de alegria.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
De posse deste conhecimento, você pode descobrir como funciona o mapa mental de uma pessoa que tem, é ou se comporta como você gostaria de ter, ser ou se comportar e utilizar este conhecimento a seu favor, tornando o seu mapa semelhante ao dessa pessoa, com as ferramentas e matéria prima citadas acima. Você também passa a saber que não é indefeso ou desmerecedor, você é completamente independente de outros para motivação, conhecimento e aprovação e, portanto, para tornar-se quem quer ser.
Muita gente pensa que certas coisas são impossíveis, sem nunca terem se disposto a fazê-las. Faça de conta que tudo é possível. Se existir algum limite, o mundo da experiência vai lhe mostrar.
Com este conhecimento, você também pode ajudar outros a encontrarem suas próprias soluções.

domingo, 17 de janeiro de 2010

11. "A informação Mais Importante Sobre Uma Pessoa é Seu Comportamento."

Ana Beatriz Medeiros Brito

A informação mais importante sobre uma pessoa é o seu comportamento e não o que se pensa ou atribui a ela, isto pode ser fruto do mapa de realidade da pessoa que informa.
As Crenças, valores, percepções, filtros e identidade pessoal transparecem na linguagem, seja ela falada, escrita ou corporal e isso faz parte do que se chama de diferenças individuais.
Graças as diferenças individuais, cada indivíduo percebe e reage ao que acontece à sua volta de uma forma diferente. Por exemplo, se dez amigos participam de uma festa e depois se reunem para comentá-la, cada um cita acontecimentos ou detálhes diferentes porque aquele foi o que mais valorizou, o que achou mais importante, então foi aquele que mais lhe chamou a atenção e sobre o qual ele vai comentar.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Conhecendo esta pressuposição você pode minimizar o valor que atribuia ao que os outros falam sobre alguém ou sobre você mesmo, e observá-lo você mesmo, assim o risco de um julgamento indevido ou injusto fica reduzido.
Você pode estar ciente que a verdade sobre você não é apenas o que você fala conscientemente sobre você, mas, também, você a passa, inconscientemente, através de seus seus gestos e pela maneira como se comporta.

domingo, 10 de janeiro de 2010

10. “A Utilidade dos Comportamentos”

10. “A Utilidade dos Comportamentos”
Ana Beatriz Medeiros Brito

O décimo pressuposto da PNL nos diz que não existe comportamento inadequado por si só, pois em algum contexto este comportamento pode ser útil.
Por exemplo, parece bastante inadequado avançar um sinal vermelho, mas se uma pessoa estiver dirigindo seu carro por uma rua deserta, tarde da noite e percebe um carro lhe seguindo, é útil dar uma rápida olhada na esquina, onde se encontra o semáforo, e avançar mesmo antes do sinal ficar verde para ela. Com isto pode evitar um assalto.
Outro exemplo, ainda, é usar casaco de lã no verão, com um calor de 35 graus, mas se, neste mesmo dia, a pessoa estiver ardendo em febre e sentindo muito frio, usar casaco de lã torna-se útil.
Então, será sempre possível encontrar um contexto em que um dado comportamento terá sua utilidade ou poderá ser adequado.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Quando você conhece esta pressuposição você pode identificar e decidir quais os comportamentos são mais adequados ou úteis para cada situação que lhe aparece, mesmo sabendo que ao comportar-se assim, corre o risco de ser julgado.
Você pode estar consciente do custo/benefício de sua escolha.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

CRIANDO O 2010 QUE VOCÊ QUER

“O futuro não é um lugar onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído e o ato de fazê-lo muda tanto o realizador quanto o destino.”
Saint Exupéry – O Pequeno Príncipe

Data: 09/01 (Próximo Sábado)

Horário: 9 à 17h

Inscrições: Prorrogadas
Fones: (53) 9986 7003 / 3226 1587
abmbrito@gmail.com

domingo, 3 de janeiro de 2010

9. “Todo comportamento tem Intenção Positiva.”

Ana Beatriz Medeiros Brito

As partes internas das pessoas operam a partir de intenções positivas. As intenções são fortes razões para a manutenção dos comportamentos e da integridade da pessoa.
Todos os comportamentos, mesmo os nocivos, prejudiciais ou impensados, os que parecem estranhos ou condenáveis, tiveram, originalmente, um propósito positivo: gritar para ser reconhecido, agredir para se defender, esconder-se para se sentir mais seguro.
Todo o comportamento tem uma intenção ou função positiva, portanto, inexistem atos gratuitos. O comportamento se baseia em algo, até mesmo na ausência de criatividade da pessoa que o mantem, para escolher ou criar alternativas mais úteis e saudáveis para atender sua necessidade no momento.
Quem fuma cigarros, por exemplo, o faz por um bom motivo. É lógico imaginar que se o fumante vislumbrasse outra alternativa mais adequada, não estaria fumando.
Para dispor dessa capacidade ou condição de escolha, a pessoa precisa de novos "mapas" para ampliar seu horizonte e para substituir o ato de fumar, que é limitante, por outro social e pessoalmente mais ecológico e criativo.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Muitas vezes, por ignorar essa pressuposição, algumas pessoas julgam a si mesmas ou outras pessoas como más, levianas ou inconseqüêntes, baseadas em suas ações inoportunas.
Conhecendo este pressuposto, em vez de tolerar ou condenar essas ações, pode-se separá-las da intenção positiva para que seja possível entender e acrescentar novas opções mais atualizadas e positivas, a fim de satisfazer a mesma intenção.
Este conhecimento também é importante para mudança pessoal e negociação, pois quando se descobre a intenção positiva que está por trás do comportamento ou interesse, torna-se mais fácil achar a melhor forma de contentá-la sem prejuízos.
Provavelmente você já deduziu que a vantagem está em concentrar-se na intenção positiva e não nos comportamentos negativos apresentados.