Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

domingo, 14 de agosto de 2011

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA EM VENDAS

Ana Beatriz Medeiros Brito

No mercado de hoje, é certo que todos querem melhorar o atendimento, aumentar vendas e conquistar uma maior fatia do mercado, sem contar que estamos sempre em contato com pessoas atendendo, vendendo algo, seja produtos, serviços, nossa imagem, idéias, etc... Então saber atender, entender e vender é um atributo útil para todas as pessoas e, para isso, se faz necessário saber usar uma das mais poderosas ferramentas da comunicação que é a linguagem, tanto verbal quanto não verbal.
A Programação Neurolinguística (PNL) é a arte e a ciência da comunicação, da mudança e da excelência humana. Na PNL estuda-se a linguagem para empregá-la como instrumento de comunicação, de percepção, compreensão do pensamento e influência sobre nós mesmos e outras pessoas.
A “PNL” surgiu há cerca de 30 anos com os estudos de Richard Bandler que ficou muito impressionado com a habilidade de comunicação e com os resultados de dois terapeutas que teve contato enquanto estudava na Universidade de Santa Cruz na California: Fritz Perls (criador da Gestalt-terapia) e Virgínia Satir (terapeuta de família). Ele ficou interessado em aprender o que eles faziam e pediu a ajuda de seu professor de lingüística, John Grinder.
Estudando vídeos de workshops daqueles dois excelentes terapeutas, eles começaram a decodificar os padrões de linguagem e de comportamento que utilizavam e escreveram o livro “A Estrutura da Magia”, mostrando que algo que parecia magia tinha uma estrutura. Assim foi criado o primeiro modelo da PNL, o metamodelo de linguagem.
Em seguida, eles passaram algum tempo estudando com Milton Erickson, médico e psicólogo e um dos maiores hipnoterapeutas da história. E escreveram outro livro: “Os Padrões de Linguagem Hipnótica de Milton Erickson”.
Juntamente com as esposas e amigos, eles formaram um grupo de estudo para a aplicar os modelos aprendidos e logo, mesmo sem serem terapeutas, começaram a obter os mesmos resultados daqueles que eles modelaram.
Quando resolveram dar um nome para o que estavam fazendo, escolheram Programação Neurolinguística.
Então a PNL começou como um processo de modelagem. Se alguém faz muito bem uma coisa, com a PNL podemos levantar o processo, a estratégia, fazer igual e obter os mesmos resultados.
A PNL logo se expandiu para além do campo da comunicação e da terapia e começou ser utilizada no campo de aprendizagem, saúde, criatividade, liderança, gerenciamento, vendas, consultoria e treinamento em empresas. Dos EUA ela se expandiu praticamente para o mundo todo.
Hoje, o principal líder em termos de aplicações e criação de novos modelos na PNL é Robert Dilts. A aplicação da PNL na Saúde, na empresa e na espiritualidade foi desenvolvida principalmente por ele.
A Programação Neurolinguística é definida como sendo a ciência e a arte de despertar a excelência do ser humano.
Muitas pessoas já usam o modelo de comunicação da PNL, bem como outros processos, para influenciar, persuadir, acompanhar o modelo de mundo da outra pessoa, utilizar a linguagem que se ajusta em seus Metaprogramas, falar hipnoticamente para conseguir que o inconsciente da outra pessoa queira comprar, etc
E porque as pessoas que trabalham com vendas não poderiam usar estratégias de vendas mais efetivas?
“Vender somente significa que oferecemos um produto altamente valorizado ou necessário em troca de algo de valor equivalente (como dinheiro). E, dada à natureza da civilização como uma comunidade interdependente que desenvolve e cresce baseando-se num intercambio justo de bens – vender assim se converte... em trocar idéias, desenvolver sobre as invenções dos outros, trocar bens, compartilhar informações, etc.” (L. Michael Hall, Ph.D.)

Em breve estaremos lançando um treinamento de “Vendas com Programação Neurolinguística” para vendedores que querem dar um impulso na sua carreira, e na sua receita inovando e ampliando suas competências e resultados e para pessoas que queiram aprender a vender utilizando essa potente ferramenta, que é a Programação Neurolinguística.