Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

domingo, 31 de janeiro de 2010

13. “As Pessoas são Responsáveis pelos Seus Resultados.”

Ana Beatriz Medeiros Brito

O décimo terceiro e último pressuposto da PNL que cito aqui, mostra que as pessoas são responsáveis pelos pensamentos e comportamentos e, portanto, pelos seus resultados.
Cada pessoa é a única responsável pela sua qualidade de vida. Ao atribuir à outras pessoas a responsabilidade por seus insucessos, a pessoas deixa de ser responsáveis por si mesma, delegando a outras este poder.
Em um primeiro momento isso parece confortável, mas se alguém responsabiliza terceiros pelo que lhe acontece de positivo ou negativo, está permitindo que o outro interfira em sua vida e jamais poderá obter o que quer, só terá, sentirá e viverá o que o outro quizer ou lhe permitir viver.
Esta é a conhecida lei da causa e do efeito: cada um colhe o que semeou e ninguém mais é responsável.
A grande maioria das pessoas se coloca do lado EFEITO, coloca a culpa do que lhes acontece em algo ou alguém fora de si.
Ex.: meu casamento não anda bem, a culpa é do meu marido que não para em casa, é da minha mulher que só pensa em limpar e arrumar a casa, é das crianças que absorvem demais.
Quando as crianças crescerem nosso relacionamento ficará melhor, poderemos viver mais um para o outro.
Meu trabalho não ficou bom porque meu colega me deu a informação errada.
Não sou promovido porque meu chefe não reconhece meu valor.
Qual é a sua contribuição para que os outros ajam assim com você?
Enquanto você não assumir a direção de sua vida, alguém vai dirigi-la e você só fará o que os outros quiserem que faça.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Quando você tem essa informação, você pode monitorar e reconhecer seus pensamentos, ações e sensações, evitando pensamentos, estados e, até, ambientes tóxicos e, ainda, ter flexíbilidade na escolha dos meios para tratar-se quando necessário.
Saiba que toda terapia deve ter como objetivo principal fazer com que as pessoas se coloquem do lado CAUSA da equação de sua vida; se não for assim causa dependência, portanto não procure o terapeuta que vai curá-lo, mas o que vai ajudá-lo a tornar-se independente.
Lembre-se: “Ninguém faz nada para nós se não provocarmos, sempre, de alguma forma, fazemos por merecer”. E também, que: "As coisas não mudam; nós é que mudamos".

Com este, encerramos a série de pressupostos e crenças que fundamentam as técnicas da Programação Neurolingüística, espero que você possa utilizar este conhecimento para orientar sua vida, sabendo que:
“Como todas as generalizações são falsas, sempre poderão existir exceções a estes pressupostos. Porém eles formam uma base e uma estrutura fortes para a comunicação e para se operarem mudanças.”

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

12. “As pessoas possuem os recursos necessários para fazerem qualquer mudança desejada”.

Ana Beatriz Medeiros Brito

O décima segunda pressuposição da PNL diz respeito à capacidade que cada pessoa possui ou pode adquirir, para alcançar seus objetivos e metas, desenvolver-se e realizar-se criativamente.
Todo ser humano possui todos os recursos que necessita para fazer qualquer mudança, isto é, se uma pessoa pode fazer alguma mudança interna ou externa, outra também pode. Os recursos necessários para tanto, estão disponíveis para todos, basta acessá-los e torná-los disponíveis nos contextos desejados.
Imagens mentais, vozes interiores, sensações e sentimentos são a matéria prima básica para a construção de todos os nossos recursos mentais e físicos. Podemos usá-los para construir qualquer pensamento, sentimento ou habilidade que desejarmos, colocando-os depois nas nossas vidas onde quisermos ou mais precisarmos.
O cérebro da imensa maioria dos seres humanos é similar. Não há grande diferença entre os "gênios" e os indivíduos "normais" além de uma maneira mais eficiente de usar os pensamentos. Se uma pessoa pode fazer algo, todos podem aprender a fazer também
Os pensamentos e recordações das pessoas, possuem um padrão. Quando a pessoa muda este padrão ou estrutura, sua experiência muda automaticamente. Pode-se neutralizar lembranças desagradáveis e enriquecer outras para que se tornem mais úteis.
O cérebro humano funciona como um computador, quando está triste - roda programa de tristeza; quando alegre, roda programa de alegria.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
De posse deste conhecimento, você pode descobrir como funciona o mapa mental de uma pessoa que tem, é ou se comporta como você gostaria de ter, ser ou se comportar e utilizar este conhecimento a seu favor, tornando o seu mapa semelhante ao dessa pessoa, com as ferramentas e matéria prima citadas acima. Você também passa a saber que não é indefeso ou desmerecedor, você é completamente independente de outros para motivação, conhecimento e aprovação e, portanto, para tornar-se quem quer ser.
Muita gente pensa que certas coisas são impossíveis, sem nunca terem se disposto a fazê-las. Faça de conta que tudo é possível. Se existir algum limite, o mundo da experiência vai lhe mostrar.
Com este conhecimento, você também pode ajudar outros a encontrarem suas próprias soluções.

domingo, 17 de janeiro de 2010

11. "A informação Mais Importante Sobre Uma Pessoa é Seu Comportamento."

Ana Beatriz Medeiros Brito

A informação mais importante sobre uma pessoa é o seu comportamento e não o que se pensa ou atribui a ela, isto pode ser fruto do mapa de realidade da pessoa que informa.
As Crenças, valores, percepções, filtros e identidade pessoal transparecem na linguagem, seja ela falada, escrita ou corporal e isso faz parte do que se chama de diferenças individuais.
Graças as diferenças individuais, cada indivíduo percebe e reage ao que acontece à sua volta de uma forma diferente. Por exemplo, se dez amigos participam de uma festa e depois se reunem para comentá-la, cada um cita acontecimentos ou detálhes diferentes porque aquele foi o que mais valorizou, o que achou mais importante, então foi aquele que mais lhe chamou a atenção e sobre o qual ele vai comentar.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Conhecendo esta pressuposição você pode minimizar o valor que atribuia ao que os outros falam sobre alguém ou sobre você mesmo, e observá-lo você mesmo, assim o risco de um julgamento indevido ou injusto fica reduzido.
Você pode estar ciente que a verdade sobre você não é apenas o que você fala conscientemente sobre você, mas, também, você a passa, inconscientemente, através de seus seus gestos e pela maneira como se comporta.

domingo, 10 de janeiro de 2010

10. “A Utilidade dos Comportamentos”

10. “A Utilidade dos Comportamentos”
Ana Beatriz Medeiros Brito

O décimo pressuposto da PNL nos diz que não existe comportamento inadequado por si só, pois em algum contexto este comportamento pode ser útil.
Por exemplo, parece bastante inadequado avançar um sinal vermelho, mas se uma pessoa estiver dirigindo seu carro por uma rua deserta, tarde da noite e percebe um carro lhe seguindo, é útil dar uma rápida olhada na esquina, onde se encontra o semáforo, e avançar mesmo antes do sinal ficar verde para ela. Com isto pode evitar um assalto.
Outro exemplo, ainda, é usar casaco de lã no verão, com um calor de 35 graus, mas se, neste mesmo dia, a pessoa estiver ardendo em febre e sentindo muito frio, usar casaco de lã torna-se útil.
Então, será sempre possível encontrar um contexto em que um dado comportamento terá sua utilidade ou poderá ser adequado.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Quando você conhece esta pressuposição você pode identificar e decidir quais os comportamentos são mais adequados ou úteis para cada situação que lhe aparece, mesmo sabendo que ao comportar-se assim, corre o risco de ser julgado.
Você pode estar consciente do custo/benefício de sua escolha.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

CRIANDO O 2010 QUE VOCÊ QUER

“O futuro não é um lugar onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído e o ato de fazê-lo muda tanto o realizador quanto o destino.”
Saint Exupéry – O Pequeno Príncipe

Data: 09/01 (Próximo Sábado)

Horário: 9 à 17h

Inscrições: Prorrogadas
Fones: (53) 9986 7003 / 3226 1587
abmbrito@gmail.com

domingo, 3 de janeiro de 2010

9. “Todo comportamento tem Intenção Positiva.”

Ana Beatriz Medeiros Brito

As partes internas das pessoas operam a partir de intenções positivas. As intenções são fortes razões para a manutenção dos comportamentos e da integridade da pessoa.
Todos os comportamentos, mesmo os nocivos, prejudiciais ou impensados, os que parecem estranhos ou condenáveis, tiveram, originalmente, um propósito positivo: gritar para ser reconhecido, agredir para se defender, esconder-se para se sentir mais seguro.
Todo o comportamento tem uma intenção ou função positiva, portanto, inexistem atos gratuitos. O comportamento se baseia em algo, até mesmo na ausência de criatividade da pessoa que o mantem, para escolher ou criar alternativas mais úteis e saudáveis para atender sua necessidade no momento.
Quem fuma cigarros, por exemplo, o faz por um bom motivo. É lógico imaginar que se o fumante vislumbrasse outra alternativa mais adequada, não estaria fumando.
Para dispor dessa capacidade ou condição de escolha, a pessoa precisa de novos "mapas" para ampliar seu horizonte e para substituir o ato de fumar, que é limitante, por outro social e pessoalmente mais ecológico e criativo.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Muitas vezes, por ignorar essa pressuposição, algumas pessoas julgam a si mesmas ou outras pessoas como más, levianas ou inconseqüêntes, baseadas em suas ações inoportunas.
Conhecendo este pressuposto, em vez de tolerar ou condenar essas ações, pode-se separá-las da intenção positiva para que seja possível entender e acrescentar novas opções mais atualizadas e positivas, a fim de satisfazer a mesma intenção.
Este conhecimento também é importante para mudança pessoal e negociação, pois quando se descobre a intenção positiva que está por trás do comportamento ou interesse, torna-se mais fácil achar a melhor forma de contentá-la sem prejuízos.
Provavelmente você já deduziu que a vantagem está em concentrar-se na intenção positiva e não nos comportamentos negativos apresentados.