Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

domingo, 31 de janeiro de 2010

13. “As Pessoas são Responsáveis pelos Seus Resultados.”

Ana Beatriz Medeiros Brito

O décimo terceiro e último pressuposto da PNL que cito aqui, mostra que as pessoas são responsáveis pelos pensamentos e comportamentos e, portanto, pelos seus resultados.
Cada pessoa é a única responsável pela sua qualidade de vida. Ao atribuir à outras pessoas a responsabilidade por seus insucessos, a pessoas deixa de ser responsáveis por si mesma, delegando a outras este poder.
Em um primeiro momento isso parece confortável, mas se alguém responsabiliza terceiros pelo que lhe acontece de positivo ou negativo, está permitindo que o outro interfira em sua vida e jamais poderá obter o que quer, só terá, sentirá e viverá o que o outro quizer ou lhe permitir viver.
Esta é a conhecida lei da causa e do efeito: cada um colhe o que semeou e ninguém mais é responsável.
A grande maioria das pessoas se coloca do lado EFEITO, coloca a culpa do que lhes acontece em algo ou alguém fora de si.
Ex.: meu casamento não anda bem, a culpa é do meu marido que não para em casa, é da minha mulher que só pensa em limpar e arrumar a casa, é das crianças que absorvem demais.
Quando as crianças crescerem nosso relacionamento ficará melhor, poderemos viver mais um para o outro.
Meu trabalho não ficou bom porque meu colega me deu a informação errada.
Não sou promovido porque meu chefe não reconhece meu valor.
Qual é a sua contribuição para que os outros ajam assim com você?
Enquanto você não assumir a direção de sua vida, alguém vai dirigi-la e você só fará o que os outros quiserem que faça.

Utilidade desta pressuposição no dia-a-dia:
Quando você tem essa informação, você pode monitorar e reconhecer seus pensamentos, ações e sensações, evitando pensamentos, estados e, até, ambientes tóxicos e, ainda, ter flexíbilidade na escolha dos meios para tratar-se quando necessário.
Saiba que toda terapia deve ter como objetivo principal fazer com que as pessoas se coloquem do lado CAUSA da equação de sua vida; se não for assim causa dependência, portanto não procure o terapeuta que vai curá-lo, mas o que vai ajudá-lo a tornar-se independente.
Lembre-se: “Ninguém faz nada para nós se não provocarmos, sempre, de alguma forma, fazemos por merecer”. E também, que: "As coisas não mudam; nós é que mudamos".

Com este, encerramos a série de pressupostos e crenças que fundamentam as técnicas da Programação Neurolingüística, espero que você possa utilizar este conhecimento para orientar sua vida, sabendo que:
“Como todas as generalizações são falsas, sempre poderão existir exceções a estes pressupostos. Porém eles formam uma base e uma estrutura fortes para a comunicação e para se operarem mudanças.”

Nenhum comentário: