Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

PODER PESSOAL: Sua Vida em Suas Mãos

Ana Beatriz Medeiros Brito

Poder Pessoal é o resultado de um processo de reconhecimento de que se é responsável pelas próprias escolhas. Quando você deixa de atribuir a algo ou alguém a responsabilidade pelo modo como se sente, está tomando posse do seu poder pessoal.
De modo geral, associa-se a idéia de poder à habilidade que alguém tem de influir sobre as ações de outras pessoas ou, ainda, à capacidade de determinar a forma como algo deve ser ou acontecer, o que não é verdadeiro. O poder que é exercido externamente, seja levando exércitos para a guerra, tiranizando subordinados no trabalho ou manipulando parceiro(a) no relacionamento amoroso é frágil, torna vulnerável quem o usa, pois este teme ser dele destituído. Isto, porque depende de outros ou de circunstâncias externas, então pode ser perdido a qualquer momento.
O poder pessoal, entretanto, supera obstáculos e não conhece limites, pois se fundamenta no potencial ilimitado que existe dentro de cada ser humano. Sendo assim, é o único que se pode preservar porque é adquirido através do esforço próprio e é vivenciado internamente.
Poder pessoal não é algo que lhe é conferido por alguém ou alguma situação externa, apenas existem circunstâncias que favorecem ou dificultam essa condição, mas quem escolhe a reação à essa circunstância é a própria pessoa, mesmo que de forma inconsciente. O poder pessoal é o poder sobre si mesmo(a) e cresce na proporção direta do autoconhecimento.
O ser humano, em sua primeira infância, é indefeso e dependente de outros para o suprimento de abrigo, alimento e afeto. A partir de uma certa idade, a independência começa a ser possível em algumas áreas e é, então, exigida e estimulada pelos adultos. A maioria das crianças ingressa nessa fase sem grandes dificuldades e até com prazer. Outras, seja por uma suscetibilidade emocional excessiva herdada, seja por uma história repleta de eventos incapacitantes ou mais comumente, por ambas, não o fazem tão facilmente. Nelas permanece uma necessidade exagerada de apoio e aceitação por parte de outras pessoas, a qual acaba por manter ou reproduzir relações dependentes que tiveram, na infância, com adultos significativos (pais, principalmente) e isso implica na perda de poder pessoal.
Todo ser humano tem seu poder pessoal, mas muitas vezes acaba cedendo-o total ou parcialmente a outras pessoas. Geralmente, essas pessoas estão ligados a eles por meio de laços afetivos ou profissionais (patrão, família, parceiro, etc).
As principais características das pessoas com perda de poder pessoal são: necessidade exagerada de apoio e aceitação por parte de outras pessoas, baixo nível de auto-estima, dúvidas quanto às suas capacidades, descrença no seu poder de influir nos eventos da própria vida, desmotivação, sentimentos de insegurança, inferioridade e insatisfação pessoal, levando-as a fugir de situações inusitadas e culpar-se por sua fraqueza sentindo-se desesperançados de algum dia terem forças suficientes para enfrentar essas situações.
Ter poder pessoal significa não entregar a ninguém mais, ou a nenhum acontecimento a capacidade de influenciar seu comportamento, atitudes e sentimentos, é dar-se conta de que você é o centro de seu “Universo Pessoal”, o causador de seu mundo, o criador de sua realidade. É escolher a verdade, o equilíbrio e a coerência como uma expressão natural do ser.
A conquista desse poder só pode ser feita pelo próprio indivíduo através de decisão e do exercício da autenticidade e esta escolha pela liberdade pode ser feita a qualquer momento de sua vida.
A única forma de resgatar seu poder é mudar suas crenças e emoções empobrecedoras, desenvolver suas capacidades e tomar as rédeas da sua vida nas próprias mãos como resultado da busca, da atenção, do esforço e da responsabilidade pelo seu destino.
Você é 100% responsável por tudo o que vive e experimenta, pelo quê acredita de si e do mundo, o que virá a moldar hábitos e atitudes que criam seu espaço de atuação na vida.

Um comentário:

Lú Albuquerque disse...

oi!

vim fazer uma visitinha e dizer q tem um mimo pra ti lá no blog.

passa lá... http://lu-albuquerque.blogspot.com/2010/05/irmas-de-alma.html

bjks