Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

domingo, 5 de julho de 2009

QUALIDADE DE VIDA x PRODUTIVIDADE

Ana Beatriz Medeiros Brito

Já há bastante tempo digo que: “Trabalho para ter Qualidade de Vida”, percebo o tempo passar cada vez mais rápido. Sento na frente do computador para fazer alguma tarefa ou, até mesmo, para ler meus e-mails e o tempo voa. Se chega uma pessoa para falar de qualquer outro assunto, parece que perdi um enorme tempo, às vezes chego à pensar que eu é que estou lenta e me pego pensando: “Quando vou conseguir fazer tudo no meu tempo? O que realmente é perda de tempo?” E me dou conta que sempre dá tempo.
Já ouvi muitas pessoas falando de “Qualidade de Vida” como se isso dependesse de outras pessoas (familiares, amigos...), da empresa em que trabalham ou do governo, não se responsabilizam por nada que lhes acontece, vivem à mercê de expectativas. O que realmente é Qualidade de Vida? Como conseguir essa condição tão comentada e desejada?
Na Empresa em que trabalhei, no consultório, na roda de amigos, na rua, vejo o corre-corre das pessoas, leio e ouço os grandes papas da administração falarem de globalização, corporativismo, sinergia e outros, é a totalidade em detrimento da unicidade. Mas o “Ser Humano” não é especial, único?... Sim, é verdade, e também necessita da convivência e parceria, porém, antes, precisa ser reconhecido e tratado como único, precisa cres-cer (SER), para então poder compartilhar o que tem de melhor.
Para atender as exigências de mercado, o profissional precisa estar muito bem preparado, isto é, formado e informado. Para isso as pessoas são incentivadas à correrem cada vez mais atrás dessas exigências que por trás exigem muito trabalho para poderem pagar toda essa qualificação indefinida, para concorrer brutalmente com qualquer um para ser o melhor para alcançar um futuro melhor, sem saber muito bem o que é esse melhor e como atingir essa exigência nada clara. Então entram em um imenso stress e, muitas vezes, chegam aos consultórios em desespero por nunca atingirem seus objetivos e, principalmente, por terem saído de seu estado natural, se desestruturado sem saber o porquê e se realmente valeu a pena. Vivem se preparando para o futuro sem viver o PRESENTE e o resultado é a miséria.
Dos “Programas de Qualidade”, aderidos pelas mais diversas empresas, o “Do It Now” (Faça Já) com uma preocupação muito maior com o crescimento da organização do que o do “Ser Humano” e suas necessidades, limitações. Limitações sim, ou todos ou, pelo menos, a grande maioria ou aqueles que criticam, já ascencionaram?
Recebo e-mails falando da aceleração do tempo, que já não temos mais tempo e, ao mesmo tempo recebo outros questionando a "pressa" e a "loucura" gerada pela globalização, pelo apelo à "quantidade do ter" em contraposição à qualidade de vida ou à "qualidade do ser", como um que recebi há bastante tempo de um amigo, com o título de “Slow x Fast”, de autor desconhecido, mas que fala justamente de um assunto bem conhecido para mim.
Concordo plenamente com o autor quando diz que: “...essa "atitude sem-pressa" não significa fazer menos, nem menor produtividade. Significa, sim, fazer as coisas e trabalhar com mais "qualidade" e "produtividade" com maior perfeição, atenção aos detalhes e com menos "stress". Significa retomar os valores da família, dos amigos, do tempo livre, do lazer e das pequenas comunidades. Do "local", presente e concreto, em contraposição ao "global" - indefinido e anônimo. Significa a retomada dos valores essenciais do ser humano, dos pequenos prazeres do cotidiano, da simplicidade de viver e conviver e até da religião e da fé”. Acrescento aqui, solidariedade, atenção e consideração com o próximo, percebo que estamos carentes disso.
“Significa um ambiente de trabalho menos coercitivo, mais alegre, mais "leve" e, portanto, mais produtivo, onde seres humanos felizes fazem, com prazer, o que sabem fazer de melhor.” Diz o autor da mensagem.
À cada curso que faço e coloco em prática, como “Programação Neurolinguística” (PNL) com sua tecnologia avançada, objetiva e prática para realizar mudanças úteis para nós mesmos, e o “Coaching Integrado”, mais recente e tanto ou mais objetivo ainda, entendo e aceito a ideia de que é possível fazer ligação destes dois estados (Qualidade de Vida e Produtividade), pois aprendo como fazer e ajudar as pessoas a unirem o útil ao agradável em tempo curtíssimo, isto é trabalhar-nos para sermos o melhor conseguindo agilidade como competência para aumentar a qualidade de vida, tirar o melhor da vida, realmente ser feliz. Começando no agora (PRESENTE) para frente, parar de perder tempo com o que passou, assumindo a responsabilidade pela própria vida e resultados.
A PNL é um estudo das experiências internas, que oferece um meio de autoconhecimento, acesso e desenvolvimento do potencial criativo, estuda como a mente trabalha e pode ser entendida como um sofisticado processo educacional. Ela permite às pessoas aprenderem a usar seu cérebro e suas palavras, a comandar suas reações e a administrar suas forças e recursos pessoais, alocando-os nos momentos e contextos desejados; mudança de crenças e valores, alinhando-os com seus objetivos. É a ciência que permite a adequação dos processos mentais às metas pessoais.
Uma das técnicas da PNL é a Terapia da Linha do Tempo, que nos permite eliminar emoções negativas, definir objetivos e colocá-los no futuro; é uma das mais eficientes e eficazes técnicas de Psicoterapia breve.
“Coaching é um processo focado em ações do coachee (cliente) para a realização de suas metas e desejos. Ações no sentido de desenvolvimento de suas próprias competências, equipando-o com as ferramentas, conhecimento e oportunidades para se expandir, usando: 1. O processo de investigação e reflexão; 2. Descoberta pessoal dos pontos fracos e das qualidades; 3. Aumento da consciência de si; 4. Aumento da capacidade de se responsabilizar pela própria vida; 5. Estrutura do foco; 6. Feedback realista; 7. Apoio.” (Rhandy di Stéfano)
O coaching integrado é a integração do melhor de várias escolas de coaching e habilita o profissional (coach) a trabalhar com os mais diversos tipos de coaching existentes: Coaching Executivo (desenvolver liderança e competências profissionais); Coaching Racional (minimizar emoções negativas); Coaching de Adversidade (lidar eficientemente com adversidades); Flow (Fluir gerar Qualidade de Vida); Peak Performance (alto desempenho); Coaching Pessoal (superar limites auto-impostos); Inteligência Emocional (desenvolver competências emocionais).
A diferença entre Coaching e Psicoterapia:
Psicoterapia - ajuda as pessoas a atingirem seus objetivos a partir da resolução de traumas. Foco na resolução do trauma que causa a dor, na resolução do passado.
Coaching - foco em ajudar pessoas a avançar em direção às suas metas mais importantes, conduzindo-o ao desenvolvimento das competências necessárias para realizar seus objetivos. O foco é nas possibilidades futuras e como transformá-las em realidade.
O mais importante de tudo isso é saber que para tudo e para cada pessoa tem uma forma mais apropriada, é só uma questão de consciência, vontade e opção, pois as ferramentas para fazer acontecer, o universo se encarrega de oferecer, basta apanhá-las e usá-las, pois o conhecimento por si só não resolve nada, para que dê certo é necessário colocá-lo em prática.

Um comentário:

Ivomar disse...

Acredito que o autoconhecimento seja um dos principais atributos necessários á qualidade de vida!Obsservo que o "autodesconhecimento" seja um dos principais problemas dos dirigentes e colaboradores das empresas. é, digamos, um problema raiz, ou a raiz de muitos problemas de produtividade.