Fazendo a Diferença

Os tempos mudaram, os desafios que surgem hoje são diferentes dos enfrentados até então. Pressão por resultados positivos, exigência crescente de alto padrão de qualidade em atendimento, produtos e serviços, agilidade nas tomadas de decisão, expectativa de vida útil das pessoas aumentando, mudanças nas leis de aposentadoria e principalmente a velocidade da obsolescência da tecnologia e do conhecimento em todas as áreas, são alguns dos desafios encontrados nos dias atuais, entre outros...

A maneira mais eficaz de preparar-se para essa nova realidade é administrar as características pessoais, reavaliar conceitos e conscientizar-se de suas necessidades, desenvolvendo virtudes e competências individuais para lidar com o todo...

A empresa que perceber e souber aproveitar-se destas circunstâncias, oferecendo aos seus colaboradores a oportunidade de auto-desenvolvimento, fará a grande diferença no mercado, assim como o profissional empenhado em desenvolver seu potencial pessoal, pois tecnologia e conhecimento estão à disposição de todos. O que realmente faz a diferença é a atitude das pessoas diante das diversas situações do dia-a-dia, a qualificação pessoal.

domingo, 29 de novembro de 2009

4. “A Comunicação é Redundante.”

Ana Beatriz Medeiros Brito

De uma forma ou de outra, as pessoas estão sempre se comunicando, estão sempre transmitindo alguma mensagem, seja pela linguagem verbal ou através de sinais sensoriais tais como olhares, gestos, sorrisos, suspiros, balançar da cabeça positiva ou negativamente, toques, atitudes, etc. Até seus pensamentos são formas de comunicar-se conconsigo mesmo, e eles se revelam aos outros pelos seus olhos, tons de voz, atitudes e movimentos corporais.
Seu corpo todo fala, não há como não se comunicar. Ficar calado e olhar para outro lado não representa uma ausência de comunicação, mas uma atitude que terá uma cristalina influência sobre si mesmo, sobre o outro e sobre a conseqüente interação.
Nossos pensamentos afetam instantaneamente nossa tensão muscular, respiração e sensações. Estes, por sua vez, afetam nossos pensamentos. Quando aprendemos a mudar um deles, aprendemos a mudar o outro.
No final da década de 1930 Alfred Korzybski ressaltou outro aspecto da percepção e comunicação humana: a linguagem. A linguagem modela o pensamento, afirmou, enunciando os princípios da semântica geral. Os outros recebem o que dizemos e fazemos através das suas representações mentais.

Utilidade desta pressuposição em nosso dia-a-dia:
Quando se sabe que corpo e mente são partes do mesmo sistema, podemos ajustar nossa fisiologia para que dê suporte às nossas colocações de linguagem.
Podemos escolher palavras mais adequadas para nos comunicarmos conosco mesmos e com outros e criar o estado que desejamos.
Também podemos, além de ouvir o outro, prestar atenção em sua fisiologia para entender melhor suas colocações, saber se está confortavel ou não com o que está falando ou, até mesmo, obtermos indícios de que está sendo verdadeiro ou não.

Nenhum comentário: